Avanços recentes nos deixam mais próximos de revertermos o envelhecimento humano

ABR 05, 2022

Alexandre Nascimento - Estadão. Confira matéria original aqui.


Pesquisas recentes obtiveram sucesso em reverter o processo de envelhecimento, criando alternativas promissoras para o tratamento de doenças e o aumento da longevidade humana. Foto: Pxfuel.com

Parar ou até mesmo reverter o processo de envelhecimento faz parte do nosso imaginário há muito tempo, tendo sido retratado inclusive no cinema. O filme “Highlander – O Guerreiro Imortal”, do cineasta australiano Russell Mulcahy, lançado em 1986, retrata a trajetória de um guerreiro imortal. Já o filme “O Curioso Caso de Benjamin Button”, do diretor David Fincher, lançado em 2008, mostra a fantástica história de um homem que nasce velho e vai rejuvenescendo ao longo da vida, , desenvolvendo-se de maneira contrária ao normal num processo de reversão do envelhecimento.

Muitas pessoas tentam manter sua aparência mais jovem através de procedimentos estéticos, como cirurgias plásticas ou aplicação de botox. De fato, o mercado de procedimentos cosméticos está projetado em 70 bilhões de dólares para 2022 e deve atingir a cifra de 146 bilhões de dólares em 2030. No entanto, rejuvenescer a aparência não resolve o problema, pois internamente os tecidos, órgãos e sistemas biológicos continuam envelhecendo. Mas e se pudéssemos reverter o envelhecimento biológico? A resposta para essa pergunta talvez seja a mais valiosa da humanidade, e cientistas do mundo inteiro têm dedicado suas carreiras na busca do elixir da juventude.

Em 2019, um estudo publicado pelo periódico científico Nature mostrou a possibilidade de realização de um rejuvenescimento biológico. Durante um ano, nove participantes saudáveis receberam um coquetel de três medicamentos relativamente comuns baseados em hormônio de crescimento e medicação para diabetes. Os cientistas analisaram os marcadores de idade nos genomas dos participantes e concluíram que eles conseguiram ficar, na média, 2 anos e meio mais jovens. Além disso, os sistemas imunológicos dos participantes mostraram sinais de rejuvenescimento.

Em 2020, outro estudo também publicado pela Nature descreveu o êxito de reverter o envelhecimento da visão em ratos idosos. Cientistas conseguiram rejuvenescer células danificadas pela idade e, com isso, devolver a visão aos ratos. Os cientistas fizeram um reset de alguns marcadores químicos que se acumulam no DNA à medida que as células envelhecem, e, com isso, conseguiram rejuvenescer os nervos da retina danificados pela idade. O estudo mostrou a possibilidade de reverter os declínios relacionados à idade através da reprogramação de algumas células para um estado mais jovem.

Em março de 2022, um novo estudo da Nature mostrou o êxito de cientistas americanos em conseguir reverter o envelhecimento em células de tecidos de ratos saudáveis utilizando terapia genética. Resultados significativos de rejuvenescimento foram notados principalmente na pele e nos rins dos ratos. Os cientistas utilizaram uma técnica inspirada nos princípios descobertos pelo Prof. Shinya Yamanaka, do Japão, ganhador do Prêmio Nobel. A abordagem parece ser um caminho promissor para lidar com doenças ligadas ao envelhecimento, como o câncer e o Alzheimer.

Esses resultados promissores chamaram a atenção de bilionários, como Jeff Bezos, e empresas, como Google, que passaram a investir em startups buscando soluções de reversão do envelhecimento. Bezos investiu na startup Altos Labs, que busca desenvolver soluções contra o envelhecimento e prolongar a vida. Já o Google fez investimento na empresa Calico Labs, que busca o tratamento de doenças ligadas ao envelhecimento para aumentar a longevidade humana.

Como será o futuro se um dia conseguirmos controlar, parar ou até mesmo reverter o nosso envelhecimento? Será que todos terão acesso a essa tecnologia ou será um privilégio de apenas alguns? O filme “O Preço do Amanhã”, de 2011, retrata um futuro no qual os humanos evoluíram a ponto de controlar o tempo de vida que cada pessoa possui. A ficção mostra como seria uma nova sociedade moldada em torno desse princípio. Com a insustentabilidade de permitir que todos possam ter uma longevidade indeterminada, a sociedade passa a utilizar o tempo de vida como moeda, fazendo com que a riqueza seja contabilizada como o tempo de vida. Ao mesmo tempo, o filme mostra os problemas surgidos devido à desigualdade decorrente da escassez desse recurso para os membros da base da pirâmide social. Será que a vida irá imitar a ficção novamente?



0 visualização0 comentário