Condomínios idealizados para idosos têm serviços específicos para a faixa etária

MAR 29, 2022

Camila Santos - Casa Vogue. Confira matéria original aqui.


Atentas ao envelhecimento da população, construtoras têm desenvolvido empreendimentos com serviço de telemedicina e atendimento básico de saúde.


Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país conta com 37,7 milhões de pessoas idosas, ou seja, com 60 anos ou mais. Já um levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que até 2025, o Brasil pode se tornar o sexto país do mundo em número de idosos. Esses levantamentos têm se refletido em iniciativas voltadas ao bem-estar da terceira idade. No que se refere ao âmbito residencial, construtoras têm desenvolvido projetos que acompanhem esta faixa etária.


Entre os quesitos que devem ser considerados nas moradias para idosos, estão: o decréscimo da audição, da acuidade visual e o possível surgimento de outras questões de saúde (Foto: Getty Images)


Acerca disso, o advogado especialista em condomínios e síndico profissional, Marcio Rachkorsky, salienta que olhar para este público envolve uma questão de cidadania, além de gerar uma maior utilização dos espaços comuns nos condomínios. “Ademais, as estruturas destinadas aos idosos também atendem às pessoas com mobilidade reduzida ou que estejam temporariamente incapacitadas”, comenta.


Em conjunto com o envelhecimento da população, Marcio observa a busca pela independência daqueles que estão na terceira idade. “Muitos idosos optam por morar sozinhos e, para que isso se efetive, os condomínios precisam estar minimamente preparados. Então, existe um movimento social do próprio idoso e da família para que a pessoa consiga morar em um lugar onde tenha lazer, saúde e segurança”, diz.


Neste cenário, o especialista sinaliza que o Estatuto do Idoso apresenta questões mínimas que devem ser instauradas para que a faixa etária tenha uma moradia digna. “As rampas, barras de apoio e itens de conforto para a terceira idade, são alguns dos elementos que permitem o convívio harmonioso entre gerações. Contudo, existem empreendimentos que já nascem adaptados com projetos concebidos para receber este público”, relata.


Um desses exemplos é o Matture Home Life, da Matushita Engenharia, em parceria com a incorporadora Plazzacorp. Com previsão de entrega em 2024, o condomínio terá caráter intergeracional e tem o objetivo de favorecer o envelhecimento ativo com qualidade de vida. O empreendimento, que será erguido em São Paulo, deverá apresentar características de um clube, de acordo com o consultor do projeto, Charles Vasserman.


Com isso, está prevista a prestação de serviços diferenciados e devidamente adequados aos seus moradores seguindo o conceito de aging in place (envelhecer em casa, em tradução literal), que é a capacidade de adaptação do ambiente físico e social à vida cotidiana, ao longo dos anos. Nos planos da construtora, há ainda a implementação de estruturas relacionadas à telemedicina, processo que abrange toda a prática médica realizada à distância.


Os empreendimentos para idosos apresentam atividades adequadas ao lazer e à promoção de saúde (Foto: Getty Images)


Outra iniciativa atenta às necessidades dos idosos é o empreendimento BIOOS, que contará com uma torre com residências para pessoas com mais de 60 anos e outra com ambientes destinados à área da saúde. “O empreendimento terá uma série de espaços para vivência em comunidade e diferenciais, como: atendimento básico de saúde, serviços pay per use de lazer, cuidado, bem-estar, saúde e conveniência, atendimento a domicílio, cuidador, organização, limpeza, reparo e manutenção das residências. Além disso, será criada uma rotina de atividades de lazer de acordo com o perfil dos moradores. Todos serviços serão prestados por empresas especializadas e de referência em seus segmentos”, detalha o CEO da Laguna, Gabriel Raad sobre a construção que será realizada em Curitiba, no Paraná.


Sobre as áreas comuns do edifício, ele acrescenta: “Haverá contraste de cores para melhor visualização, iluminação adequada e indicativa, área de descanso no hall dos elevadores nos subsolos, mobiliário adequado na área comum (sem quinas ou cadeiras sem braços), banheiros em todos os pavimentos e corrimão nos corredores e área comum.


Com o envelhecimento da população, diferentes setores têm implementado adaptações que beneficiem diferentes gerações (Foto: Getty Images)

0 visualização0 comentário