Cuidador de Idoso: uma das profissões mais procuradas no mercado de trabalho

DEZ 13, 2021

Portal Camaquã. Confira matéria original aqui.


O envelhecimento da população e a pandemia reforçam a importância desses profissionais


Usine de Notícias – Foto: Divulgação


Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país envelhece — e rápido. Atualmente, os dados do IBGE mostram que o número de pessoas com mais de 60 anos, no Brasil, já é superior ao de crianças com até 9 anos de idade. Ou seja, o país já tem 32,9 milhões de idosos. Por isso, o cuidador de idosos é uma das profissões que encabeçam a lista das mais demandadas na chamada “economia prateada”.


E o combate à Covid-19 reforçou ainda mais a procura por cuidadores de idosos. “A pandemia acometeu drasticamente a população dos idosos sim, por possuírem fatores de saúde precários e fator idade, tornando-os mais vulneráveis. O isolamento social afetuoso também prejudicou a saúde mental, levando as famílias a procurarem por estes profissionais”, explica a docente do Senac Lajeado, Leandra Koempfer.


O aumento da demanda pelos cuidadores e a pandemia deram ainda mais relevância à capacitação profissional. “Sim, a busca pela formação é fundamental devido ao fator de que estamos falando em lidar com vidas, com um ser humano, um bem precioso. Um bom curso é essencial pois visa fornecer instrumentos para que indivíduos cuidem de pessoas sob um olhar de responsabilidade, um olhar a auxiliar com conhecimentos nos cuidados amplos do dia a dia e na doença propriamente dita. Facilitando assim a prática desse cuidado”, afirma Leandra.


A docente enfatiza que a responsabilidade dos cuidadores vai além de zelar pelo bem estar físico dos idosos. É necessário também acompanhar o aspecto mental/ psicológico desses indivíduos. “A saúde mental ganhou importância principalmente em decorrência da pandemia. Segundo dados da UFRGS, 80% da população brasileira apresenta sinais de ansiedade e 68% têm sintomas de depressão. Ou seja, o trabalho do cuidador se tornou ainda mais valorizado”, destaca. A qualificação, reforça Leandra, fornece às pessoas contratantes como as (clínicas, famílias, hospitais, creches de idosos, etc) uma segurança ampla devido ao conhecimento adquirido na formação.


Quanto ao perfil de um profissional cuidador de idosos, a docente lista as principais habilidades: empatia, ética profissional e, acima de tudo, gostar do que se faz. “E também ser responsável e atencioso ao desenvolver suas atividades, possuindo comprometimento com o cuidado e muito amor envolvido”, diz.


Para aqueles que pensam em ingressar no mercado de trabalho como cuidadores de idosos, Leandra dá dicas:


1) Buscar qualificação através de cursos especializados - Cuidador de idosos. E outras formações complementares como Primeiros Socorros, Uso correto de Medicação, Alimentação, etc.


2) Procurar uma instituição de ensino que ofereça curso de formação teórica e prática com uma carga horária adequada e legalmente habilitada.


3) Possuir qualificação em informática para auxiliar o idoso no contato com a família, facilitar no cuidado do paciente com suas finanças, inclusive.


4) Ter uma rede social, pois é a vitrine do profissional. Hoje em dia muitas contratações se dão por via das redes sociais. Por isso é importante manter perfis atualizados, com informações profissionais adequadas e contatos facilitados.


5) Possuir carteira de motorista para acompanhar o idoso em passeios, compras, consultas médicas e até mesmo viagens. O cuidador torna-se um facilitador para a família que transfere o cuidado, a atenção e a segurança do idoso para o profissional.

0 visualização0 comentário