Empreendedores investem em meios digitais para expandir negócios na economia prateada

JUN 29, 2021

Elisabete Garcez Marin - SEGS. Confira matéria original aqui.


Marcas de todos os portes investem em marketing digital para atrair e engajar o público maduro.


"Vídeos e Carrossel funcionam melhor para público 50+" Bete Marin

O brasileiro é um povo empreendedor. É o que diz o sumário executivo do “Global Entrepreneurship Monitor”. O projeto foi iniciado em 1999 por meio de uma parceria entre a London Business School e o Babson College. Hoje, ele se junta ao Sebrae e a coordenação do Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP) para divulgar dados sobre o tema.

De acordo com o seu relatório, 20% do PIB brasileiro e 60% dos 94 milhões de empregos estabelecidos, correspondem a atividades empreendedoras, além de evidenciar as habilidades comuns entre os empreendedores no país. São elas: a capacidade criativa, de reinvenção e a fácil adaptação, já que eles precisam inspirar e criar nas adversidades e aprender com os erros.

O perfil empreendedor, em sua maioria, é de jovens não necessariamente instruídos. Como o mesmo estudo aponta, o grupo mais ativo nos negócios é formado pela população entre 25 e 34 anos, com apenas o ensino fundamental. Eles correspondem a 10% a mais do que os que detêm nível superior.

Porém, o público-alvo desse empreendedorismo que vem ganhando destaque são as pessoas 50+. Este é um dos mercados que mais cresce e que participa mais ativamente da economia, sendo responsável pela movimentação de mais de R$ 1,8 trilhão por ano só no Brasil.

A ascensão do mercado segue algumas tendências como mudança da aquisição de produtos e serviços para a locação. Segundo a Reuters, ele evolui a taxa anual (CAGR) de 10,76%, entre 2018 e 2023.

O programa Akousis Experience é um exemplo de solução que tem o público 50+ como prioridade e vem acompanhando o aumento da procura por serviços de locação, desde o lançamento deste serviço em maio deste ano. "Alugar aparelhos auditivos foi uma ideia inovadora e de grande impacto social, já que democratiza o acesso a saúde auditiva no Brasil." Afirma Bete Marin, cofundadora da Máquina de Vendas do Hype50+.

A perda auditiva é irreversível e a reabilitação pode garantir que as pessoas evitem os impactos da perda auditiva na saúde e na vida social. No Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, 10,7 milhões de pessoas apresentam perda auditiva.


Além de contar com as novas ideias que se adequam à nossa sociedade e aos hábitos de consumo moderno, o seu sucesso se dá porque a Akousis entende profundamente o seu público. Nos últimos tempos, os prateados têm revolucionado a ideia de longevidade. Eles são ativos, trabalham, participam da movimentação das cidades, viajam e querem estar inseridos na vida social.

A maioria já está no mundo digital e enxerga a tecnologia como uma aliada. Segundo pesquisa do Hype50+, 92% deles possuem smartphone, 71% dos brasileiros 55+ se consideram digitais, e apenas 10% declaram não estar em nenhuma rede social. “Por isso, empresas como a Akousis se destacam, pois pensa como os prateados, entende suas necessidades e os alcança onde estão, principalmente com campanhas de marketing digital”, complementa Bete Marin.

Para a empreendedora, as estratégias digitais que mais funcionam para a economia prateada são os vídeos e carrossel. Mas é preciso investir em conteúdo relevante para este público afim de gerar identificação e valorização com detalhes que mais se adequam as suas características, desejos e necessidades.

5 dicas para impactar, engajar e converter o público 50+ no marketing digital

- Conhecer os clientes: é importante procurar saber sobre a representatividade do 50+ no seu negócio.

- Aprofundar o conhecimento nos clientes 50+: informações como faixas etárias, gênero, classe social, grau de instrução, nível de satisfação com produtos, serviços, marketing, desejos e necessidades são importantes.

- Promover conhecimento sobre o novo perfil dos maduros: em toda as áreas da empresa, é preciso quebrar os estereótipos que levam a cometer deslizes que podem comprometer todo o investimento.

- Investir em um plano estratégico de marketing inclusivo.

- Contratar especialistas em marketing digital para consumidor maduro: nós sabemos promover conteúdos informativos e participativos com especialistas e personalidades que geram identificação, proporcionando experiências positivas tanto para a consumidor como para as marcas.

Por fim, o marketing digital pode ser muito usado para o mercado prateado. Ele permite aprendizagem constante. A maior dica é tentar alcançar este público de forma empática e personalizada.

4 visualizações0 comentário