Graduação na maturidade: aumenta o número de brasileiros acima dos 50 anos no ensino superior

FEV 08, 2021

Diário de Petrópolis. Confira matéria original aqui.


Foto: Garna Kfuri


Nos últimos anos, as instituições de ensino superior brasileiras identificaram aumento no número de pessoas com mais de 50 anos se matriculando em um curso universitário. Segundo o Censo Escolar, o destaque foi para estudantes com mais de 65 anos, que teve aumento de 42%. A dúvida de muitos ao ler essa informação pode ser: o que leva uma pessoa a ingressar na faculdade depois dos 50 anos? Os motivos variam muito, mas certamente a mudança do mercado tem grande participação nisso. Nas últimas décadas, muitas tecnologias surgiram e a maneira como as pessoas trabalham mudou.


"A mudança no mercado de trabalho e a pandemia me impulsionaram a correr atrás de novas oportunidades. Hoje em dia, é muito importante termos uma graduação ou especialização. Vi na bolsa de estudos a chance de ingressar no curso de Nutrição e ampliar os horizontes. Diminuí um pouco o ritmo como contadora para mergulhar nessa experiência. Acredito na profissão do nutricionista e no benefício dela na vida das pessoas. Estou só no começo de um novo ciclo, mas me sinto extremamente realizada", destaca Mônica Rossi, aluna do 4º período de Nutrição da UNIFASE.


Há também quem encontra mais de uma vocação e decide cursar a segunda graduação acadêmica. Pensando nestes dois públicos, o Centro Universitário Arthur Sá Earp Neto (UNIFASE) criou a campanha 50+ que, desde 2019, beneficia diretamente as pessoas com 50 anos de idade ou mais que queiram se matricular em um dos cursos de graduação oferecidos pela instituição: Administração, Nutrição, Psicologia, Gestão Pública, Gestão de Recursos Humanos ou Radiologia. Os interessados, dentro do perfil, recebem 50% de desconto no valor de todas as mensalidades, ao longo do período de estudos.


Vantagens da maturidade

"Existem algumas vantagens de começar uma graduação depois dos 50 anos. Acreditamos no potencial, na determinação, no vigor e na experiência das pessoas com 50+. Com a necessidade evidente de atualizar os conhecimentos, utilizar as novas tecnologias e técnicas inovadoras, além de aumentar as redes de contato, o mercado influencia diretamente no fato de a pessoa de mais de 50 decidir ingressar na faculdade. Afinal, ela pode usar o curso para se atualizar, mas também para evoluir e descobrir um novo caminho profissional. É preciso considerar também que quando a pessoa termina o ensino médio e para de estudar, provavelmente ela não consegue conquistar cargos mais altos numa empresa. Assim, fazer uma graduação acaba abrindo portas para essa ascensão profissional, além de ampliar as chances de concorrer a um cargo público, com a vantagem da estabilidade que a maioria das pessoas deseja", explica Cláudia Barcelos, gerente do setor financeiro da UNIFASE.


Ingressar na faculdade depois dos 50 é realmente vantajoso? A resposta para essa dúvida, que é muito frequente em pessoas que ainda não decidiram se voltam a estudar ou não, é "sim". Há vários benefícios que uma graduação depois dos 50 anos pode oferecer, entre eles a possibilidade de mudar de profissão, manter a mente ativa e ocupada, realização pessoal e profissional, descobrindo novos caminhos e possibilidades.


"Eu me formei em Arquitetura e fui morar na Inglaterra. Quando retornei ao Brasil, cursei Administração, pois estava trabalhando em uma multinacional que exigia conhecimentos específicos nessa área de gestão. Após alguns anos, eu ingressei na ONU e depois abri a minha empresa. Eu percebi que precisava de algo a mais, um sentido maior para continuar trilhando o meu caminho e encontrar uma forma de ajudar pessoas. Resolvi ingressar no curso de Psicologia e escolhi a UNIFASE por ser uma faculdade reconhecida nacionalmente na área da saúde. Fico feliz com todo conhecimento e autoconhecimento adquirido até aqui. Nossa vida é repleta de mudanças e a psicologia me faz ser uma pessoa melhor", explica Garna Kfuri, aluna do 5º período do curso de Psicologia da UNIFASE.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

MAR 26, 2022 António Ferraz - Correio do Minho. Confira matéria original aqui. A economia da longevidade é um dos mais recentes ramos da ciência económica que surge, por um lado, como resultado da mel