Longevidade planejada: alta expectativa de vida expõe alerta para busca por previdência

OUT 20, 2021

Branded Studio ND - NDTV. Confira matéria original aqui.


Pesquisa aponta que seis em cada dez brasileiros não têm planejamento financeiro para a pós-aposentadoria; SC é um dos Estados onde mais se vive


Você já tem planos para a aposentadoria? De acordo com uma recente pesquisa do Banco Central, é provável que a resposta para esta pergunta seja negativa. O levantamento  aponta que seis em cada dez brasileiros não possuem planejamentos financeiros para a hora de parar de trabalhar. O dado acende um alerta que pode ser preocupante ao ser relacionado com o aumento gritante na expectativa de vida associada à redução do número de filhos. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) estima que em 2039 existam mais idosos do que crianças no Brasil.



Primeira reportagem da série sobre o funcionamento e benefícios da previdência complementar trata sobre longevidade e planejamento com a aposentadoria  – Foto: Reprodução/NDTV Ainda conforme os estudos do IBGE, a expectativa é que em 2060, 25,5% da população seja idosa. Ou seja, um em cada quatro brasileiros terá mais de 65 anos. Aumento na expectativa de vida ao longo dos anos No século passado, a expectativa de vida do brasileiro não passava de 50 anos. Em 2021, está em 74. Em Santa Catarina, especialmente, o número é ainda maior. A expectativa de vida no Estado se aproxima dos 80 anos, uma das maiores em todo o país.

De acordo com a advogada conselheira do OABprev-SC, a previdência complementar dos advogados, Eni Aragão, a qualidade de vida é um fator fundamental para alavancar os números da expectativa de vida no Estado. ’’O aumento da qualidade de vida faz com que todos nós tenhamos uma expectativa de vida maior do que aquela de alguns anos atrás”. Longevidade sem planejamento pode ser problema Embora o aumento da longevidade do brasileiro seja uma boa notícia, há o alerta para a falta de planejamento deste público na pós-aposentadoria. A pesquisa realizada pelo Banco Central aponta que 59% da população não tem planos financeiros para este período da vida. A advogada Eni Aragão ressalta que um bom caminho é investir em uma previdência complementar. “Isso importa em amealhar recursos, fazer poupança para garantir esses dias que iremos sobreviver. Que é uma boa expectativa para todo mundo. Viver mais todo mundo quer, mas viver mais com qualidade de vida’’, diz.

Na reportagem sobre longevidade e planejamento financeiro, a advogada Eni Aragão falou sobre a OABPrev-SC, a previdência complementar dos advogados – Foto: Reprodução NDTV Quais são as vantagens da previdência complementar? Em comparação com a poupança, os rendimentos apresentados pela previdência complementar costumam ser mais vantajosos. O serviço é oferecido por bancos e também por entidades de classe, como por exemplo os advogados que querem receber além do teto do INSS. Nesse caso, eles pagam um valor mensal ao OABPrev-SC. A conselheira da entidade, Eni Aragão, esclarece que os valores podem variar conforme a condição de cada um. “Por se tratar de uma previdência complementar, esses valores ficam totalmente de acordo com a capacidade e a vontade do advogado. Ele pode estabelecer um valor de contribuição mensal, esses valores são aplicados e depois retornam para ele em forma de benefício de aposentadoria programada, ou então por aposentadoria por invalidez, ou pensão por morte”.

“Vida passa em um estalar de dedos” O advogado Cesar Poletto é um exemplo de quem apostou no planejamento. Ele contratou o plano de previdência quando estava na faixa dos 30 anos. Ao completar 60, já começa a fazer o resgate dos valores. “Foram vários mecanismos que foram dando mais credibilidade. E aí eu efetivamente passei a contribuir com valores cada vez mais significativos, dentro das minhas condições, e que me permitiam almejar coisas uma hora dessas”, afirma Poletto.

O advogado César Poletto contratou um plano de previdência complementar há 3 décadas e começou a receber os benefícios – Foto: Reprodução NDTV O advogado salienta que o tempo “passa rápido”, e o planejamento financeiro é o caminho para desfrutar da aposentadoria sem perder qualidade de vida. “Quando a gente começa essa contribuição a gente faz esse olhar: ‘isso é só daqui a tantos anos’. Mas quando tu vê, a tua vida passa em um estalar de dedos, e tu tá lá!” Cesar Poletto destaca que muitas pessoas almejam o momento da aposentadoria, mas esquecem que precisam estar preparadas. “As pessoas falam: ‘não vejo a hora de me aposentar’. E eu digo que quando você chega lá, tem que ter projetos adiante. Eu acho que a vida sempre é maior a gente sempre tendo algum tipo de sonho a realizar”, finaliza o advogado.

0 visualização0 comentário