Porque a inovação e a diversidade geracional podem - e devem - andar juntas nas empresas

OUT 28, 2021

Marie Claire - Marie Claire. Confira matéria original aqui.


No terceiro dia de Power Trip Summit, Renata Gomide de Carvalho, Silvia Ruiz e Fran Winandy falam sobre caminhos para combater o etarismo e apoiar mudanças e transições ao longo da vida das mulheres


Renata Gomide de Carvalho, Paola Deodoro, Fran Winandy e Silvia Ruiz no 6º Power Trip Summit (Foto: Mariana Pekin)


Segundo a Organização das Nações Unidas, a luta contra o preconceito motivado pela idade de alguém é um desafio global a ser enfrentado pela nossa geração. "A cada duas pessoas, uma discrimina pessoas mais velhas. É algo grave e que pode até limitar o acesso a cuidados médicos", alertou Cris Guterres ao anunciar o debate sobre o combate ao etarismo nesta sexta edição do Power Trip Summit.

Nas palavras de Fran Winandy, especialista em Diversidade Etária, sócia da Acalântis Services, o etarismo é o preconceito motivado por idade. "E afeta.tanto pessoas jovens quanto pessoas mais velhas. Por exemplo, pessoas muito jovens assumindo cargos altos pode causar estranhamento. E, geralmente, as mulheres acabam sendo o alvo desse desse preconceito”, define.


Conduzida pela editora sênior de Beleza e Beauty Tudo, Paola Deodoro, a mesa contou também com Renata Gomide de Carvalho, diretora de marketing do Grupo Boticário; e Silvia Ruiz, criadora de conteúdo 50+ e voz potente do movimento Ageless.


"A indústria da beleza tem a responsabilidade de todas as informações que chegam para a consumidora. E, por isso, debater a questão geracional dentro das empresas é muito importante, precisamos criar ambientes intergerações para estabelecer mudanças." Renata Gomide de Carvalho

Renata Gomide de Carvalho, diretora de marketing do Grupo Boticário, conversa com Paola Deodoro (Foto: Mariana Pekin)


Falando sobre O Boticário, Renata Gomide de Carvalho destacou que existe uma escuta ativa e pesquisas sendo feitas a todo o momento para ter contato com o público.

A partir delas, ficou claro que a relação estabelecida pelas mulheres com mais de 45 anos com elas mesmas mudou. “Essas mulheres querem descobrir coisas e experimentar coisas novas, além de deixar de lado o que não faz mais sentido.”


Silvia confirmou a tendência ao expor o seu relato pessoal, contando que percebeu algumas transformações em relação a sua idade e decidiu compartilhar em seu Instagram. A partir disso, ela começou a alcançar diversas mulheres que passavam pela mesma situação, mesmo não sendo sua intenção inicial tornar-se criadora de conteúdo aos 50 anos.


"Percebi que as pessoas queriam se reconhecer nas mudanças que estavam surgindo. Porque as mulheres, quando começam a envelhecer, tornam-se invisíveis. Elas desaparecem da televisão, das propagandas", conta.


"É aquela ideia de que 'não tenho mais idade para isso'. O etarismo está dentro da gente." Silvia Ruiz

Silvia Ruiz, criadora de conteúdo 50+ (Foto: Mariana Pekin)


Em relação aos caminhos para combater esse preconceito, elas apontam algumas possibilidades. “Formas de comunicação precisam ser repensadas. Precisamos parar de usar o etarismo para falar de funções de produtos de beleza, por exemplo", prosseguiu Silvia Ruiz.


Segundo ela, termos como “anti-idade” deveriam ser revistos nos rótulos de produtos de beleza e bem-estar. "A cultura pop tem um papel muito importante nisso ao trazer à tona essas alterações em novelas, no cinema e na televisão”, completa.


Ações que incluam a diversidade geracional entre as equipes são fundamentais a todas as empresas, defende Fran Winandy. “Muitas vezes, as pessoas acima de 40 anos são barradas antes das entrevistas de emprego, basta ver a idade no currículo."


"O que precisamos mostrar é que a integração geracional pode trazer também dinheiro para a organização. Quando há equipes diversas, existe mais inovação, mais engajamento, mais produtividade." Fran Winandy

Fran Winandy, especialista em diversidade etária e sócia da Alcalântis Services (Foto: Mariana Pekin)


Power Trip Summit

Em sua sexta edição, o maior encontro de liderança feminina do Brasil ocorre nos dias 26, 27 e 28 de outubro, no Espaço Casa Bossa, localizado no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo. O evento conta com CEOs e executivas de alta gestão em meio a uma programação extensa de debates, entrevistas e interação. Koa Beck, Luiza Helena Trajano, Luana Araújo, Ingrid Guimarães e Mônica Martelli estão entre as speakers da programação.


Somente as convidadas terão acesso ao vivo ao evento, mas todo o conteúdo estará disponível no dia seguinte à apresentação no YouTube de Marie Claire. Acompanhe também a cobertura exclusiva no nosso site e em nossas redes sociais.

0 visualização0 comentário