Portugal integra projeto europeu de combate ao idadismo

MAR 21, 2022

Guilherme Lopes - Tiinside. Confira matéria original aqui.


Projeto visa combater estereótipos negativos, discriminação e preconceitos ligados à idade

Foto: Orlando Almeida / Global Imagens


Um projeto europeu que pretende lutar contra o idadismo, intitulado "Smart Against Ageism", foi financiado em 365 mil euros pelo programa Erasmus+. O projeto de investigação, onde se incluem portugueses, pretende combater os estereótipos negativos, discriminação e preconceitos relacionados com a idade.

"Ouvimos falar do racismo e outros projetos, mas o idadismo não é visto como um problema", afirma Flávia Rodrigues, investigadora e especialista em Comunicação e Relações Públicas da organização não governamental Shine 2Europe que em Portugal dinamiza este projeto.

Para a investigadora, este projeto pretende desmistificar alguns dos estereótipos, visões e mitos muitas vezes associados à população mais velha. O primeiro passo será no mercado de trabalho, onde muitas vezes, explica Flávia Rodrigues, estas pessoas são vista como uma "massa homogénea".

"No mercado de trabalho uma pessoa com mais de 45 é sujeita a grande dificuldade na sua integração" quando entra num novo projeto, afirma.

Financiado através do programa Eramus+ da Comissão Europeia, o "Smart Against Ageism" junta um conjunto de outros parceiros da Alemanha, Bélgica, Lituânia, Bulgária e Holanda. Trata-se de um trabalho conjunto, com uma equipa dedicada em cada país que trabalhará até julho de 2024.

Diversas fases e ferramentas

Carina Dantas, a CEO da Shine 2Europe, garante que o financiamento em cerca de 365 mil euros, no qual a empresa portuguesa contará com 56.270 euros, vai ser utilizado para a pesquisa de certos requisitos que permitem dar o contexto cultural do idadismo e no desenvolvimento de quatro ferramentas de aprendizagem.

Após a pesquisa sobre o contexto cultural, a CEO da Shine diz que o passo seguinte será desenvolver "um manual de como deve ser evitado este contexto", que contará como a primeira ferramenta.

"A segunda ferramenta em desenvolvimento, em conjunto com a equipa holandesa, será uma plataforma de aprendizagem interativa, enquanto a Shine vai desenvolver um jogo de alta qualidade que será alojado na plataforma", explica.

Carina Dantas refere que o objetivo do jogo é "confrontar a pessoa com as atitudes positivas e negativas relativamente a comportamentos de idadismo no contexto de trabalho". Em conjunto com o jogo, será desenvolvido um tool kit para formadores, com uma série de metodologias que auxiliem na utilização do jogo e do manual como "recursos educativos".

No final do projeto, estas três ferramentas vão ser disponibilizadas gratuitamente, em formato open source com os respetivos resultados.

Ajudar numa mudança de paradigma Além destas três ferramentas, Carina Dantas diz que farão recomendações ao nível político e de mudança social. Na sua página, a Shine 2Europe afirma que o objetivo dos projetos em que colaboram é "trazer inovação e promoção social", mas que isso depende "muito de mudanças políticas".

"A Shine usa projetos educativos que podem ser usados em contextos formais e informais que podem ser usados em contextos sociais" afirma Carina Dantas.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

ABR 04, 2022 Bibliomed - Terra. Confira matéria original aqui. Em humanos, a deterioração da qualidade do sono durante o envelhecimento é uma das queixas mais prevalentes. Mais da metade das pessoas c