Ribeirão Pires terá centro focado na população idosa

JAN 25, 2021

Thaína Lana - Diário do Grande ABC. Confira matéria original aqui.


Para atender à população idosa de Ribeirão Pires, o Estado liberou R$ 850 mil para a construção de centro de longevidade ativa na cidade. O espaço oferecerá serviços voltados ao acolhimento e inclusão digital e produtiva de pessoas com 50 anos ou mais. Além das atividades de convivência, haverá ainda ações que vão promover a inclusão produtiva, novas carreiras e empreendedorismo entres os idosos, incluindo apoio à qualificação e formação, além de atividades envolvendo tecnologia.


A iniciativa faz parte do programa SP Amigo do Idoso, que tem o objetivo de executar ações efetivas e integradas, fortalecendo o papel social do idoso e contribuindo para uma postura mais ativa e saudável diante do envelhecimento. Além dos centros de longevidade, o programa é composto por uma ampla rede de equipamentos voltados à atenção aos idosos. Apenas nesta gestão, o governo do Estado já atingiu a marca de 54 unidades entregues, sendo 45 novos CCIs (Centros de Convivência do Idoso) e sete CDIs (Centros Dia do Idoso), e a revitalização de dois CCIs (Bastos e Sete Barras) no Interior. O SP Amigo do Idodos conta ainda com o Projeto Longevidade, que promove ações para a inclusão produtiva e digital para a população acima de 50 anos de baixa renda.


Ribeirão ainda conta com um CRI (Centro de Referência ao Idoso) e dez Instituições de Longa Permanência. Antes da pandemia mais de 700 idosos frequentavam o Centro de Referência. Com o retorno das atividades presenciais no ano passado, cerca de 200 pessoas da terceira idade estão atualmente participando das aulas de artesanato, informática, ginástica, entre outras ações.


Os espaços de convivência oferecem opções de lazer para população mais velha da cidade, que será maioria em apenas três anos. Em 2025, Ribeirão Pires terá uma mudança demográfica e terá mais idosos do que crianças, segundo dados da Fundação Seade mantida pelo governo do Estado. Serão 23.267 pessoas acima de 60 anos, contra 20.402 crianças de zero a 14 anos – juntas as sete cidades do Grande ABC também irão atingir essa marca.

2 visualizações0 comentário