Viana do Castelo: Casa Sacerdotal participa em projeto intergeracional europeu

Atualizado: 13 de jun. de 2021

MAI 21, 2021

Ecclesia. Confira matéria original aqui.


Padre Manuel Domingues, com 72 anos de idade, afirma que «tudo o que seja criar laços intergeracionais é fundamental, nos tempos de hoje»



Viana do Castelo, 21 mai 2021 (Ecclesia) – A Casa Sacerdotal da Diocese de Viana do Castelo está a participar no projeto intergeracional europeu ‘U BAGGHIU, Espaço de Reuniões e Experiências’ a convite da Escola Básica de Cabedelo, com os alunos da turma do 2.º ano.



Foto: Notícias de Viana


“Tudo o que seja criar laços intergeracionais é fundamental, nos tempos de hoje. As nossas crianças precisam dos idosos e os idosos das crianças, só assim temos uma sociedade equilibrada, porque só crianças, seria demasiada verdura, e só idosos, seria velhice”, disse o padre Manuel Domingues, divulga hoje o jornal ‘Notícias de Viana’.


O sacerdote, de 72 anos de idade, utente da Casa Sacerdotal da Diocese de Viana do Castelo, acrescenta que desta forma têm “uma verdadeira comunicação”.


“Todos os projetos que permitam o contacto com as crianças e idosos são muito importantes e interessantes, a todos os níveis. São iniciativas que mostram que todos fazemos falta”, destacou por sua vez o padre António Torre, que tem 77 anos.


O projeto ‘U BAGGHIU, Espaço de Reuniões e Experiências’ que pretende “oferecer aos jovens um caminho de crescimento” engloba 140 alunos e cerca de 110 idosos de Itália, Portugal, Espanha, Arménia e Roménia, e decorrerá durante este ano letivo.


“Estou a gostar muito. Conhecemos os meios de comunicação antigos, fizemos máscaras para o Carnaval, celebrámos o Dia da Mãe e estamos agora a preparar os trabalhos sobre a primavera e a Páscoa. Tudo isto é partilhado com os velhinhos e com os meninos de outros países, através de vídeos”, contou Maria Paço, de sete anos de idade.


Para Aida Rocha, de 84 anos, “o projeto é bom” e recorda que tem trabalhado com a animadora: “Fiz postais, participei num vídeo e, mais recentemente, partilhei algumas receitas antigas com as crianças”.


“Este projeto tem-me ensinado muita coisa. Não somos só nós a ensinar”, realçou a utente da Casa Sacerdotal.


O convite para os utentes da Casa Sacerdotal da Diocese de Viana do Castelo participarem nesta iniciativa surgiu da Escola Básica de Cabedelo, onde a turma do 2º ano participa com mais de 20 alunos, e é cofundadora deste projeto.


“Sentimos que as crianças têm muito a aprender com os idosos, assim como os idosos com as crianças, porque as suas realidades são completamente opostas. A vida mudou muito nas últimas décadas”, assinalou o professor José Moreno.


O coordenador do projeto assinalou que as crianças “estão muito recetivas” e todas as semanas perguntam pelos idosos, e se vão ter mais atividades em conjunto.


“Sinto até que ficam muito curiosas com aquilo que acontece no lar deles; Ao mesmo tempo, este projeto tem sido interessante porque as crianças levam os trabalhos para sua casa e, consequentemente, têm um envolvimento maior com os seus avós”, desenvolveu o professor José Moreno.


A animadora sociocultural Rosália Peixoto explica que “havia uma lacuna no trabalho com os idosos” e este projeto permitiu que os utentes da Casa Sacerdotal se mobilizassem mais “em tarefas que acreditavam que não tinham capacidade” ou que, anteriormente, “já nem lhes interessavam ou porque não iam gostar, ou não valia a pena”.


“Infelizmente, devido à pandemia, vivemos num ambiente fechado, mas temos muita sorte em ter um espaço grande, exterior, que nos ajuda bastante. Este projeto tornou-se numa janela para o exterior, embora nestes moldes, marcado pela distância”, acrescentou a animadora sociocultural, lê-se no jornal ‘Notícia de Viana’ da diocese do Alto Minho.

0 visualização0 comentário